ENTRE EM CONTATO

(11) 5083-8222

   

BLOG

Cuide dos Músculos

A sarcopenia é definida como a perda de massa e força muscular. Quando ocorre, também, perda da função muscular (desempenho físico baixo), caracteriza um quadro mais complexo: sarcopenia grave.  O interesse por esse tema veio da constatação da relação entre perda de massa e força muscular com o aumento da incapacidade funcional, dependência, quedas, fraturas, hospitalização recorrente e mortalidade. Portanto, essa perda quantitativa e qualitativa do músculo pode influenciar na autonomia, no bem-estar e na qualidade de vida dos idosos. Com o envelhecimento, o organismo sofre mudanças na sua composição: aumento da gordura corporal e redução da massa muscular esquelética.

O tecido muscular esquelético diminui cerca de 40% entre 20 e 60 anos de idade. Estas alterações podem se apresentar como uma perda muscular de 1-2% ao ano, particularmente nos membros inferiores, ganho de gordura corporal de 7,5% por década, a partir dos 40 anos, com alterações mais acentuadas após 50 anos de idade. Diversos fatores contribuem para o desenvolvimento da sarcopenia, como: falta de atividade física, baixa ingesta calórica e proteica, assim como alterações hormonais e alterações de nível celular que repercutem na estrutura do músculo.  A sarcopenia estabelece seus sintomas, principalmente, em indivíduos fisicamente inativos, mas, também, é vista em sujeitos que permanecem fisicamente ativos ao longo de suas vidas. O diagnóstico pode ser feito durante a avaliação geriátrica, podendo ser complementada por exames diversos.

O tratamento depende do mecanismo da sarcopenia envolvidos em cada indivíduo. As reposições hormonais para tratamento exclusivo de sarcopenia, ou seja, sem outras indicações específicas, tem se mostrado um tratamento insuficiente, pois houve somente para ganho muscular sem alterações da força muscular e desempenho muscular.  Uma correta avaliação o orientação nutricional mostrou-se imprescindível no tratamento da sarcopenia. A suplementação proteica adequada e bem orientada comprovadamente melhora a produção de fibras musculares quando associada a outras estratégias de tratamento, como o exercício.  Diversos autores verificaram que o treinamento de força (musculação) pode minimizar ou retardar o processo de sarcopenia para obter significantes respostas neuromusculares (hipertrofia muscular e força muscular), por meio do aumento da capacidade contrátil dos músculos esqueléticos.

Postado por Dra. Gisane Cavalcanti Duque

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *