ENTRE EM CONTATO

(11) 5083-8222

   

BLOG

13 de março: Dia do Rim

A doença renal crônica tem aumentado a sua frequência, principalmente nas populações mais idosas. Por ser silenciosa no seu início, o diagnóstico, muitas vezes, é feito nos estágios mais avançados.
Algumas doenças como: diabetes, obesidade, hipertensão arterial, doenças glomerulares, (estrutura de filtração do rim) doença policística renal, cálculos renais de repetição, infecção urinária de repetição e gota aumentam o risco de desenvolver doença renal crônica. Outros fatores e práticas de risco que devem ser levados em consideração são tabagismo, doença cardiovascular, colesterol elevado, hiperplasia da próstata, idade avançada, história familiar de doença renal, entre outros.
A doença renal, quando em estágio avançado, determina uma grande limitação das atividades do dia a dia, tanto pela doença em si, como pelo próprio tratamento. As sessões de hemodiálise, que são formas de eliminar substâncias que os rins não eliminam mais, são realizadas em hospitais ou clínicas, três vezes por semana, com duração, em média, de quatro horas.  Além do tempo gasto, pode determinar muito mal estar durante as sessões ou mesmo após.
Portanto, a prevenção ou controle de doenças e situações de risco são ações fundamentais.
Postado por Dra. Gisane Cavalcanti Duque

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *